|

“A Casa de Bernarda Alba” é encenada por alunos do IFF na Bienal do Livro

O espetáculo teatral foi apresentado na Arena Cultural durante a maior festa literária de Campos, que segue até esta quarta-feira (9) com entrada franca

 

O espetáculo teatral “A Casa de Bernarda Alba” marcou presença nesta segunda-feira (7) à noite, na Arena Cultural da 11ª Bienal do Livro de Campos, realizada pela Prefeitura, por meio da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL), no Guarus Plaza Shopping. A peça aborda o universo feminino e o machismo ao seu redor, cultura muito antiga que ainda persiste até os dias atuais. O grupo de atores faz parte do Curso de Licenciatura em Teatro do Instituto Federal Fluminense (IFF-Campos). A festa literária termina nesta quarta-feira (9) com entrada franca.

 

Com o texto escrito em prosa, Gabriel Garcìa Lorca recorre ao simbolismo para realizar uma nova investida no teatro. Bernarda Alba, personagem central do texto, é uma matriarca dominadora, que mantém as cinco filhas -Angústia, Madalena, Martírio, Amélia e Adélia – sob vigilância implacável, transformando a casa onde vivem, situada em um pequeno povoado na Espanha, em um caldeirão de tensões prestes a explodir a qualquer momento.

 

Com a morte de seu segundo marido, Bernarda decreta um luto de oito anos, submetendo suas filhas à reclusão dentro das frias paredes da casa, com as janelas fechadas. Duas das moças, porém, apaixonadas por um mesmo galanteador das redondezas, um rapaz de 25 anos chamado Pepe Romano, desencadeiam no meio daquele luto uma disputa cruel e perigosa para conquistar o amor do mesmo homem, com consequências trágicas.

 

De acordo com a professora de Pesquisa em Licenciatura, Mônica Mesquita, o núcleo de teatro físico é um projeto de pesquisa e extensão e esse trabalho, uma adaptação da obra do ano 1936, de Lorca. “É muito importante para o grupo poder compartilhar esse trabalho com todos, em um evento tão grandioso de leitura, que é a 11ª Bienal do Livro. Estamos articulando esse conhecimento da universidade com toda comunidade”, disse Mônica Mesquita.

 

A presidente da Fundação Cultural Jornalista Osvaldo Lima, Auxiliadora Freitas, explicou que a programação da Bienal 2022 foi pensada de forma que agradasse aos diversos públicos. “É muito gratificante essa peça teatral com alunos e professores do Curso de Licenciatura. Eu quero agradecer imensamente em nome da Fundação a essa oportunidade de construção do conhecimento”, acrescentou.

 

A Bienal 2022 homenageia o Bicentenário da Independência e o Centenário da Semana de Arte Moderna. Ao todo são 250 mil títulos e 6 mil lançamentos literários. A Associação Brasileira de Difusão do Livro (ABDL) reúne 19 editoras e 90 diferentes selos. Entre as editoras participantes através da ABDL, Autêntica, Ciranda Cultural, Culturama, DCL, Florescer, Girassol, Global, Globo, Leya Malê, Melhoramentos, Nova Fronteira, Panini, Planeta, Prolezo, Record, Rocco e Vozes, além da Editora Paulinas.

 

O evento tem como parceiros, ainda, a secretaria municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct), Polo Arte na Escola-Uenf e SESC-RJ, Associação Brasileira de Difusão do Livro (ABDL); Guarus Plaza Shopping e Cine Uniplex Guarus. O patrocínio é do Sicoop Fluminense e apoio de Águas do Paraíba.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on print